A área florestal ardida vai influenciar a produção de mel na região, nos próximos anos, dizem os apicultores locais, criticando os apoios estatais, considerados insuficientes

A diretora executiva da Cooperativa Lousamel explica que “os incêndios florestais que ocorreram nas últimas semanas dizimaram não só um elevado número de colmeias, mas também a maior parte da área de produção, tendo ardido consideravelmente em seis dos dez concelhos que fazem parte da Denominação de Origem Protegida do Mel da Serra da Lousã (Castanheira de Pera, Góis, Figueiró dos Vinhos, Pampilhosa da Serra, Pedrógão Grande, Penela)”. (…)

Leia esta e outras notícias na edição 1358 de 3 de agosto