Reunidos os compartes a 30 de novembro na sede dos Baldios de Vilarinho, aprovaram por unanimidade o plano de atividades e orçamento para 2018.

O presidente do Conselho Diretivo, Luís Trota, afirmou que as receitas obtidas com a exploração dos recursos dos baldios, e com base na lei, deverão ser aplicadas em proveito exclusivo do próprio baldio, incluindo-se a previsão normal do funcionamento da sua estrutura, da qual fazem parte 9 colaboradores. Não obstante, e apesar do exercício negativo para 2018, irá honrar o protocolo com a ADIC, bem como com algumas associações da comunidade local, num valor total de 35.000€. Também na área das doações sublinhou que estão os habituais 95 m3 de lenha para distribuir pela ADIC, Jardim de Infância do Freixo, Clube Recreativo Vilarinhense e Associação da Ribeira de Prilhão.

A procura de financiamento ao nível dos apoios do quadro comunitário, nomeadamente do Portugal 2020, PDR2020, POSEUR e apoios nacionais através do Fundo Florestal Permanente, são outras das acções que envolvem a dinâmica do Gabinete Técnico dos Baldios.

Unindo-se à exigência e preocupação do País, os Baldios reforçam a implementação de medidas de prevenção ao nível da defesa da floresta contra incêndios, destacando-se a localização e monitorização de eventuais pontos críticos, em colaboração com a Proteção Civil da Lousã.

Continua na edição impressa do Trevim n.º 1368