A oposição social-democrata mostrou-se crítica em relação à exploração de um bar por parte da Junta de Freguesia das Gândaras na feira que decorre nos primeiros domingos do mês naquela freguesia, a FEIRAGRI. Durante a reunião da Assembleia de Freguesia, realizada dia 29 de dezembro, na sede, Nelson Gonçalves, eleito pelo PSD, considerou negativo a Junta estar com um serviço de bar durante o evento, a servir refeições ao domingo, “a concorrer” com outros bares existentes “a cerca de cem metros”.

A presidente da Junta de Freguesia das Gândaras, Sandra Fernandes, respondeu, explicando que o bar surgiu com o objetivo de ser uma fonte de receita para a Junta, em prol da comunidade. “Se está a causar indignação não deveria, porque o bar só funciona uma vez por mês e não vejo concorrência nem direta, nem indireta”, disse, frisando que vai reunir com os proprietários dos cafés, para analisar a situação. Frisou, no entanto, que nunca recebeu qualquer queixa por parte dos outros detentores de bares na freguesia, a única reação que teve terá sido, aliás, uma recomendação no sentido de alterar a ementa do serviço de “take-away”, recentemente criado.

O presidente da Mesa da Assembleia, José Manuel Simões, confessou que o bar foi criado no anterior mandato para cativar mais público para a feira. “mas sabemos que está ilegal, se a ASAE aparece, fecha aquilo”. Esta declaração provocou reações em dois eleitos do PSD. Nelson Gonçalves confessou-se “surpreendido” pelo facto do organismo autárquico fazer esse tipo de afirmações públicas, e Alice Ferreira, também do PSD, mostrou-se surpresa pela forma como as verbas provenientes da feira são demonstradas num orçamento de uma Junta de Freguesia.

Continua na edição impressa do Trevim nº 1369