Nasci e cresci em Penedono, norte do distrito de Viseu. Nas Terras do Demo, como tão bem Aquilino Ribeiro as descreve. Estudei em Viseu e em Coimbra. Vivo na Guarda. “As Beiras Serranas” são o meu pequeno mundo. E, tal como todos os portugueses, vi a Beira arder nos dias 15 e 16 de Outubro. Estava eu a fazer o meu último treino antes do UTAX / TSL e a toda à volta da Guarda só havia fumo e incêndios a 360º, com especial violência os que se viam do lado de lá da Serra da Estrela. Chorei, como todos chorámos, quando percebemos o que tinha acontecido, da Pampilhosa da Serra a Viseu, da Guarda a Oliveira de Frades, Serra do Açor mais uma vez calcinada, Serra da Estrela mais uma vez calcinada. A natureza destruída, vidas destruídas, a Beira condenada a ter que se reerguer das cinzas, lutar ou morrer de vez.

No dia 20 de Outubro, sexta-feira, faço-me ao caminho, Estrada da Beira fora, em direcção à Lousã, para participar no Ultra Trail Aldeias de Xisto, na prova Trail Serra da Lousã. Foi a custo que fiz esta viagem, com os olhos lacrimejantes de Linhares da Beira a Vila Nova de Poiares, não sei se do fumo que ainda havia, se de ver tanta destruição. Gouveia, Oliveira do Hospital, São Martinho da Cortiça…

Dia 21 de Outubro renasci. Para quem ama a natureza, “o monte”, correr 55 km na Serra da Lousã, sem ter passado por 1 km que fosse de terra queimada, foi absolutamente maravilhoso. Os cheiros da terra molhada, as ramagens das árvores a baterem-nos na cara, o xisto a escorregar, sentir que depois do Inferno tinha chegado ao Paraíso. Não corro em montanha para competir com quem quer seja, a não ser comigo próprio, mas sim para usufruir da montanha, da serra. E se a Serra da Lousã já era um paraíso para quem gosta de trail running, agora ainda é mais. A vossa Serra é esperança, é vida. Preservem-na bem, cuidem-na, divirtam-se a usá-la e deixem-na ainda melhor do que estava antes de a usarem, porque o que aí têm, já poucos concelhos do país, infelizmente, se podem orgulhar de ter.

Um abraço e até Outubro!

PS: em Julho nasceram os meus 2 filhos em Coimbra. A minha celebração foram 17 km a correr na Serra da Lousã, com uns amigos de Coimbra, e com umas bifanas no fim do treino. Portanto, se mais razões não houvesse, a vossa Serra fará parte da minha vida para sempre.

Pedro Baldaia, praticante de Trail