Três centenas de pessoas marcaram presença na Fonte Fria, Serpins, a 22 de abril, Dia da Terra. Objetivo: devolver o verde à Serra da Lousã. Organizada pela Associação Empresarial Serra da Lousã (AESL), esta ação mobilizou miúdos e graúdos, na plantação de teixos, castanheiros, medronheiros, azevinhos e cerejeiras. Para além dos jogos tradicionais, foi ainda enterrada uma cápsula do tempo. Contendo desenhos de turmas do 1.º Ciclo, mas também os anseios de todos os presentes, o invólucro foi selado e só será reaberto daqui a 12 anos, altura em que os organizadores deste “Eu sou a Serra da Lousã” esperam ver os montes e vales ao redor com a beleza que tinham antes do incêndio de 15 de outubro passado.

Enxada numa mão, árvore na outra, quem respondeu à chamada, não só cumpriu a tarefa de reflorestar aquela localidade perto da Terra da Gaga, como também “batizou” o que plantou, assumindo o compromisso de acompanhar a “afilhada” pela vida fora.

De acordo com a AESL, foram plantadas mais de mil árvores nesta manhã. Esta ação contou com o apoio da Junta de Freguesia de Serpins, da Floresta Unida, Bombeiros Voluntários de Serpins e Câmara Municipal da Lousã.