A Santa Casa da Misericórdia da Lousã inaugurou um novo edifício de ampliação da Estrutura Residencial para Idosos (ERPI), com capacidade para 16 camas, aumentando para 80 a capacidade total do lar de idosos da instituição. O edifício foi construído de raiz, no mesmo terreno da sede da instituição, e inclui sala de convívio, refeitório e quartos. O custo da obra foi de cerca de 650 mil euros, com um apoio de 213 mil euros do Fundo Rainha D. Leonor, criado em 2014 pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e União das Misericórdias Portuguesas. Através de um protocolo, assinado na cerimónia inaugural,

a Câmara Municipal da Lousã comprometeu-se a subsidiar a obra em 60 mil euros.

Aproveitando a presença do Ministro do Trabalho, da Solidariedade e da Segurança Social, Vieira da Silva, o provedor João da Franca pediu “despacho favorável” para os protocolos com a Segurança Social relacionados com as novas camas, a fim de que os utentes consigam fazer face às despesas mensais que se situam nos mil euros, por pessoa.

“Este projeto com quase uma década só foi possívelo graças ao Fundo Rainha D. Leonor, que nos apoiou em quase um terço do necessário. Para o valor restante recorremos à banca para o programa “Jessica”, da Caixa Geral de Depósitos”, explicou o provedor João da Franca, justificando a necessidade de ampliação com a predominância de uma média etária de 83 anos entre os idosos, o que força muitos a deslocarem-se em cadeira de rodas.

Continua na edição impressa do Trevim nº 1378