“O grande problema dos diabéticos é serem diagnosticados tardiamente e, portanto, tomarem cuidado com a alimentação e com o exercício físico tardiamente”, explicou médica de saúde pública Guiomar Sarmento, a 22 de junho, durante a sexta sessão formativa para profissionais de saúde na área da diabetes, que decorreu na Lousã.

O evento, organizado pela Sociedade Portuguesa de Diabetologia (SPD) e pelo Programa Regional da Diabetes da Administração Regional de Saúde do Centro (ARS), reuniu cerca de 40 profissionais, no Hotel Palácio da Lousã, que analisaram a aplicabilidade e a eficiência dos planos de saúde nacionais na área da diabetes, o tratamento e o acesso à inovação, com incidência na região centro do país.

“Temos cada vez mais crianças e jovens sedentários, se não tivermos uma atitude preventiva, não vamos conseguir parar esta epidemia”, afirmou Guiomar Sarmento, da ARS Centro e Agrupamento Centros de Saúde do Pinhal Interior Norte (ACeS PIN), relativamente à epidemiologia nacional, que afeta mais de um milhão de portugueses. Em Portugal, estima-se que a diabetes afete 13,3% da população, com idades entre os 20-79 anos, das quais 44% desconhecem ter a doença.

Continua na edição impressa do Trevim nº 1382