Na escala de risco de incêndio florestal divulgada diariamente pelo ICNF, o concelho da Lousã é um dos quatro do distrito de Coimbra com previsão de risco máximo para hoje, quinta-feira, juntamente com Arganil, Góis e Pampilhosa da Serra. Para outros municípios vizinhos, também com área florestal dominante, a previsão é de risco muito elevado, como é o caso de Castanheira de Pera, Figueiró dos Vinhos, Miranda do Corvo, Penela e Vila Nova de Poiares.

A avaliação do risco de incêndio florestal, com suporte nas previsões meteorológicas, tem uma escala de quatro níveis: reduzido, moderado, elevado, muito elevado e máximo. O ICNF – Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas disponibiliza esta informação no sítio Internet www2.icnf.pt/portal/florestas/dfci/risco-temporal-de-incendio e também através de correio eletrónico, mediante registo dos interessados.

Neste período crítico, até 30 de setembro

É proibido: fazer queimas e queimadas; o uso de fogareiros e grelhadores, salvo se usados nos locais autorizados; fumar ou fazer qualquer tipo de lume nos espaços florestais; o lançamento de balões de mecha acesa e de foguetes; fumigar ou desinfestar em apiários excepto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.

O uso de fogo de artifício só é permitido com autorização da Câmara Municipal. É obrigatório usar de dispositivos de retenção de faíscas e de tapa-chamas nos tubos escape e chaminés das máquinas de combustão interna e externa e nos veículos de transporte pesados e 1 ou 2 extintores de 6 Kg, consoante o peso máximo seja inferior ou superior a 10 toneladas.