O Traço da Justiça, mostra que inclui duas exposições de cartune organizadas para assinalar os 50 anos do Trevim, vai ser apresentada no Palácio da Justiça da Covilhã, no âmbito de um programa comemorativo dos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, adotada pelas Nações Unidas em dezembro de 1948.

A iniciativa do Tribunal da Comarca de Castelo Branco, que inaugura dia 23, pelas 15:00, inclui ainda outras exposições, como “A Justiça nos Lanifícios no século XIX” e “Os Jornais a Liberdade e o Abuso de Expressão”, na sequência de um trabalho de investigação histórica do juiz lousanense José Avelino Gonçalves. O interesse pela história riquíssima das Beiras levou este colaborador do Trevim a “mergulhar no recanto poeirento e sombrio do sótão do Tribunal da Covilhã, no qual se amontoavam, esquecidos, centenas de processos prenhes de história e de saber”, que podem constituir uma fonte de conhecimento “do quotidiano das gentes que de alguma forma se enredaram em conflitos dirimidos pelos tribunais”.