A Liga de Amigos do Museu Etnográfico Dr. Louzã Henriques (LAMELH) vai promover na Lousã, já neste sábado, 24 de novembro, um passeio pelo património material e afetivo da zona da Estação, entre o antigo Centro de Saúde e as instalações da EDP.

Com esta iniciativa, intitulada “Património da Louzã – do Hospital à Cadeia com paragem na Estação” e aberta a toda a população, a LAMELH, com apoio do Trevim, assinala o Ano Europeu do Património Cultural.

A concentração dos interessados está marcada para as 10:30, junto ao antigo Centro de Saúde, na rua Pires de Carvalho, devendo o programa começar pouco depois.

Foi lançado o desafio, para partilharem as memórias locais, a vários cidadãos que de alguma forma, como moradores, comerciantes, industriais, trabalhadores ou estudantes, viveram uma realidade outrora pujante, graças ao caminho-de-ferro, que chegou à Lousã em 1906 e foi encerrado há quase nove anos, em janeiro de 2010, com a promessa de um metro que nunca avançou.

Ao longo do percurso, darão os seus testemunhos, por esta ordem, os seguintes lousanenses: Pedro Júlio Malta, João Poiares da Silva, Teresa Erse, José Redondo, Pedro Curvelo, António Ramos de Carvalho, José 100, Carlos Ramalheiro, Conceição Carvalho e Pompeu Seco, entre outros.