A Cooperativa Trevim aprovou dia 14, em reunião da Assembleia Geral, o plano atividades e o orçamento para 2019. Na sequência das propostas da Direção e parecer favorável do Conselho Fiscal, ambos os documentos foram aprovados por unanimidade, após uma correção de pormenor sugerida no debate realizado.

O presidente da Direção apresentou o plano ponto por ponto, sublinhando que a atividade a merecer maior atenção é a edição do Trevim, que se pretende cada vez de melhor qualidade nos conteúdos e na apresentação gráfica, de modo a despertar o interesse dos assinantes e outros leitores, sempre em consonância com a sua matriz e como projeto cooperativo de informação e cultura.

Na discussão dos vários pontos apresentados mereceu destaque a estratégia editorial, a definir pela administração com os contributos dos órgãos sociais, da equipa do jornal, cooperadores e outros colaboradores envolvidos na produção do jornal. Nesse sentido, aponta-se a necessidade de promover “momentos de reflexão coletiva, que tornem as decisões mais participadas e democráticas”. Como se refere, sendo o “Trevim a trave mestra da atividade da cooperativa”, a sua edição pressupõe “uma construção coletiva, não compatível com posições individualistas”.

O Ramal da Lousã deve continuar a ser uma “causa maior do Trevim”, lê-se também no plano aprovado, que identifica vários objetivos para o novo ano, como remodelar a estrutura e conteúdos do jornal, desenvolver a rede de contactos e incentivar a adesão de novos colaboradores, melhorar a ligação à comunidade educativa, dinamizar a angariação de assinantes e a captação de publicidade.

Outros dos aspetos focados prende-se com a melhoria da edição eletrónica do jornal e da utilização das redes sociais, tendo em vista a captação de novos leitores e assinantes. Neste sentido foi sugerida a realização de um fórum com alunos das escolas, para auscultar as motivações da camada jovem que se pretende atrair para a leitura de jornais.

Na promoção de atividades culturais, outro dos objetivos da Cooperativa Trevim, o plano de atividades indica a organização de visitas e debates sobre diversos temas, exposições na sede (pintura, fotografia, caricatura), a promoção de convívio com emigrantes e do Encontro dos Povos da Serra da Lousã.

O orçamento para 2019 tem uma despesa prevista de 86.147 euros, com destaque para os encargos com o pessoal, impressão do jornal e distribuição via CTT. As receitas orçamentadas, no montante de 90.719€, resultam em grande parte da faturação de publicidade e assinaturas, cujas previsões apontam para a necessária estabilidade financeira.

No final houve ainda oportunidade para partilhar outras informações sobre a atividade associativa, como a finalização do processo de aquisição das instalações, a participação na Confederação das Coletividades e em sessões informativas sobre os problemas que afetam a imprensa regional e a atividade das cooperativas.