Numa carta enviada ao Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Luís Capoulas Santos, a Câmara Municipal da Lousã (CML) alertou para a necessidade de serem implementadas medidas no concelho que permitam combater os impactos negativos originados pela presença da vespa velutina.

No documento, a autarquia reforça que, apesar das ações implementadas por várias entidades municipais e particulares, as consequências nocivas da presença da espécie “são grandes e diversificadas”. Referindo-se ao Plano de Ação para a Vigilância e Controlo da Vespa Velutina, a CML sublinha a necessidade de atualização desta estratégia face à “dimensão dos prejuízos económicos e ambientais e do risco para a segurança pública”. Alerta também para a importância da criação de um pacote financeiro capaz de “fazer frente a esta situação de calamidade” que coloca “em causa a existência da abelha melífera”.

A diminuição da atividade deste inseto polinizador perante a vespa, “traduz-se no enfraquecimento e eventual morte da colmeia”, aponta o Plano de Ação para a Vigilância e Controlo da Vespa Velutina, publicado em janeiro 2018. Um fenómeno com duas consequências diretas – uma menor produção de mel e diminuição da polinização vegetal, uma função biológica em que as abelhas melíferas têm um papel fundamental.

Leia a notícia completa na edição impressa do Trevim n.º 1395