RC Lousã, 86 – Vila da Moita, 10

O confronto entre o primeiro e o penúltimo classificados da 1ª Divisão com 41  pontos  a separá-los na tabela classificativa, teve pouca história.

Durante os primeiros 20 minutos, enquanto os visitantes tiveram alguma força física para contrariar o maior ascendente dos lousanenses, ainda se foi assistindo a algumas jogadas interessantes. Mas a partir daí e com o domínio total dos beirões a nível dos avançados, onde a superioridade nas melées era notória, começou a vir ao de cima a quebra física dos alentejanos, com o resultado a atingir os 36-0 ao intervalo fruto de seis ensaios marcados.

Após o descanso, os treinadores da Lousã optaram para iniciar de imediato as substituições dos oito atletas do banco, permitindo assim não só fazer descansar alguns jogadores para o difícil encontro da próxima semana em Évora, como dar oportunidade a atletas menos utilizados de melhorarem a condição física e a sua integração na equipa.

Mesmo assim os suplentes foram dando “conta do recado” e os ensaios foram surgindo, com alguma naturalidade. Realce para algumas boas jogadas da equipa lousanense que conseguiu bons movimentos coletivos, mantendo sempre a assistência interessada.

Aos 70 minutos os alentejanos alcançaram um merecido ensaio pelas linhas atrasadas, numa boa jogada de insistência. O resultado final de 86-10 com 13 ensaios alcançados, espelha fielmente o que se passou no relvado da Lousã.

O R. C. Lousã alinhou com João Almeida, Vance Elliot, Wandré Nortje; Bruno Pinheiro e Cristopher Hold; Ricardo Santos (Cap), João Barreto e Esdale Litz;  António Correia e Steven Komene;  Kostadin Debrenliev, Smilko Debrenliev, Fábio Marques, e Aaron Martin; Luke McMahon. Jogaram ainda: João Simões, José Caetano, José Lopes, Tiago Roque, Samuel Lourenço, Eduardo Fernandes, Rui Erse e Pierre Ebah.

Com este resultado o RC Lousã mantém o primeiro lugar na tabela classificativa com seis pontos de vantagem sobre o 2º  (Montemor-o-Novo) e 12 sobre o 3º que é o Benfica.

Leia mais na edição impressa do Trevim n.º 1396