O novo centro animal da Lousã está prestes a ver a luz do dia, agora que estão reunidas as condições para a execução de uma empreitada que exige um custo de 140 mil euros, o dobro do valor que se obteve com o orçamento participativo de 2017. Para isso, a autarquia canalizou da verba excedente do projeto vencedor de 2018 para um investimento que urge no nosso concelho. O abandono, ou maus tratos a animais são uma realidade a que não se pode virar a cara, assobiando para o lado como se não fosse nada connosco. Há já uma década que existe uma associação pelos animais da Lousã, a Louzanimales que, com a ajuda de voluntários, dá um contributo na defesa e consciencialização dos seus direitos e bem-estar. E não são os únicos, uma vez que não faltam casos de cidadãos mais sensíveis a este tema que, cada um à sua maneira, dão o seu contributo para ajudar estes filhos de um deus menor.

É sabido que o atual canil municipal já há muito que não se adequava ao fim para o qual foi criado e que as suas condições ficavam muito aquém do razoável. Para aqui deslocam-se diariamente voluntários para alimentar os animais, proceder a limpezas ou mesmo dar-lhes atenção ou passeá-los. São gente da Lousã, mas também estrangeiros que aqui vêm dar o seu contributo, deslocando-se, como em alguns casos, de concelhos vizinhos, algo que é meritório. A sociedade está em constante mutação, e os direitos dos animais, que há uma década era vista como uma preocupação menor, hoje tem um peso muito diferente na opinião pública e a própria ideia de civismo, ou de reprovação social passa também por aqui. Trabalhemos, então, para que não só o novo empreendimento seja uma realidade como também para que o nosso concelho seja um bom exemplo no respeito e atenção com estes seres.