Assumimos a direção do jornal Trevim com perfeita consciência da grande responsabilidade que nos foi confiada. São muitos desafios e sonhos. Pretendemos vencê-los e concretizá-los, contribuindo para um novo ciclo do jornal.

Aos fundadores e a todos os que se têm dedicado, agradeço pelo que construíram. São cinquenta anos de história que nos ensinam quão importante é o jornal Trevim para a comunidade lousanense – que se estende daqui ao mundo.

O Trevim é um reduto de identidade, afetos e sentimentos; um abraço intangível, um elemento de proximidade que devemos valorizar e promover. Temos a ambição de incrementar este elo de ligação com todos os lousanenses e seus descendentes, mas também alargar a outros círculos. Um dos objetivos: mais assinantes. Fica o convite para que compre, assine, traga familiares e amigas/os, ou ofereça a assinatura do nosso jornal.

Hoje, o contexto é bastante particular. Vivemos um período de transição na eventual emergência de um novo ciclo civilizacional. Clima, economia, justiça, educação, fronteiras, ideias… tudo está em causa. Os valores confrontam-se na entropia até alcançar o equilíbrio de um mundo novo. A crise nos meios de comunicação, especialmente na imprensa escrita, instalou-se devido à transferência para as redes digitais, onde a informação surge quase instantaneamente. Mais ou menos superficialmente, mais ou menos verdadeira, exige-se a cada um de nós comparar, aprofundar matérias, refletir e optar. O risco da desinformação é grande. A manipulação, as notícias falsas, a propaganda, o mercantilismo iludido com velhos conceitos de crescimento, são grandes desafios que se nos colocam.

O Trevim poderá daqui construir uma nova afirmação: um jornal local, atento às pessoas, à região e à diáspora, imparcial, rigoroso, promotor da discussão e da reflexão públicas sobre a nossa vida coletiva, com olhar crítico, exigente, disponível para a diversidade e aberto ao contraditório.

Com a sua colaboração, tudo faremos para que o legado desta instituição se afirme e perpetue como elo de ligação entre o nosso concelho, os lousanenses, as leitoras e os leitores, daqui e do mundo.

 

Hélder Bruno Martins