O mau estado do pavimento do antigo troço da estrada N17, na Ponte Velha, que continua sem ser intervencionado, dominou o período antes da ordem de trabalhos da reunião da Assembleia de Freguesia (AF) de Foz de Arouce e Casal de Ermio, realizada dia 25 de julho na delegação de Casal de Ermio.

Carlos Honório, residente na Ponte Velha, usou da palavra no período destinado ao público, para voltar a reivindicar a reparação da agora designada Rua José Pedroso Henriques, que ainda está sobre a gestão da Infraestruturas de Portugal (IP). Segundo disse, o piso carece de “intervenção urgente” e de colocação de sinalética para limitação de velocidade e passadeiras. Referindo-se às negociações para a transferência deste troço da IP para responsabilidade da Câmara Municipal da Lousã (CML), o vogal eleito pelo BE reforçou que é tempo de a autarquia assumir a reparação da estrada mesmo sem estar ainda sobre a sua gestão.

Henrique Lourenço, presidente da Junta de Freguesia (JF), afirmou ter-lhe sido garantido pela CML que “o processo está extraordinariamente bem encaminhado” e que se perspetiva “a curto prazo a passagem do troço para a esfera do município”. Quanto à velocidade a que passam os veículos, considera que “o maior obstáculo que lá está são os próprios buracos”, assumindo só poder intervir no local, dentro das possibilidades da Junta, quando a via passar a ser municipal. Trata-se de um litígio entre a CML e a IP “em que é o povo a pagar fatura”, referiu por sua vez Ricardo Ferreira, eleito pelo PSD.

Leia a notícia completa na edição impressa do Trevim n.º 1408