O tributo a Kalidás Barreto foi um momento alto e emotivo do 23º Encontro dos Povos da Serra da Lousã, promovido pelo Trevim e outras entidades da região, no Santo António da Neve, no dia 13 de julho. A iniciativa reuniu centenas de pessoas “de uma corda de localidades que partilham, desde tempos remotos, a sua ligação à montanha tutelar”, sobretudo Lousã, Castanheira de Pera, Góis, Miranda do Corvo, Pedrógão Grande e Figueiró dos Vinhos.

 Os foliões e amigos da Serra da Lousã foram recebidos em ambiente de festa, com animação pelo Grupo Etnográfico da Região da Lousã (GERL), dirigido por José Faria, que brindou os presentes com várias cantigas populares, convidando-os a dançar com os membros do rancho.

Mário Maia, que este ano concluiu o doutoramento pela Universidade de Coimbra, com a tese “Jogos, emoções, culturas e educação física”, falou dos brinquedos e jogos tradicionais.

No decorrer da sua apresentação ao ar livre, tendo como pano de fundo a atuação do GERL e a azáfama dos jogadores entusiasmados com o lançamento das malhas de ferro, o professor de Educação Física, radicado na Lousã há décadas, salientou que “olhar para os mais velhos é como olhar para um livro de histórias”.

Além do seu contributo para os jogos tradicionais, a Lousitânea – Liga de Amigos da Serra da Lousã, com sede na Aigra Nova, promoveu a presença de artesãos do concelho de Góis e confecionou a sopa, as filhós com mel e o café à moda antiga, entre outras iguarias da serra.

“Foi um êxito, sobretudo ao nível da procura” destes produtos alimentares característicos da região, disse ao Trevim Rita Ribeiro, da Lousitânea.

Os difíceis acessos ao alto do Trevim e ao recinto do Santo António “afastaram muitas pessoas, incluindo grupos que habitualmente não faltam”, disse o jornalista Casimiro Simões, da organização.

Na sua intervenção, durante o tributo ao sindicalista e dirigente associativo Luís Maria Kalidás da Costa Barreto, o antigo diretor do Trevim lamentou “mais uma viagem por estradas vergonhosamente abandonadas, há longos anos, pelos poderes públicos que as deviam cuidar”.

Alda Correia Carvalho, presidente da Câmara de Castanheira de Pera, o único dos três municípios diretamente ligados ao Santo António da Neve (Lousã, Castanheira e Góis) que se fez representar ao mais alto nível, garantiu que, “no próximo ano, a estrada estará em boas condições e o acesso a este local será facilitado”.

Leia a notícia completa na edição impressa do Trevim N.º1409