O Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) alargou, até 30 de setembro, o período de licenciamento para as entidades titulares ou gestoras de zonas de caça que pretendam efetuar o controlo da população de javalis. Reconhecendo a “necessidade de continuar a realização de medidas para controlo de efetivos populacionais de javali, com vista à prevenção da peste suína africana (PSA)”, um edital do ICNF publicado a 28 de junho anuncia o “reforço de medidas para a minimização de danos causados em culturas agrícolas e florestais”. Para tal, as entidades responsáveis pelas zonas de caça terão de obter autorização do ICNF, entidade competente para credenciar as ações de correção de javalis.

Preocupação em países europeus

Recentemente a Comissão Europeia delimitou novas zonas de risco nos estados-membros depois de se terem confirmados casos de peste suína africana em animais de origem doméstica na Bulgária. Segundo a Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV), “o vírus da PSA não representa qualquer perigo para a saúde humana”, contudo, “devido à sua gravidade e rápida evolução, a doença tem um elevado impacto social e económico, pelas perdas provocadas”.

Leia a notícia completa na edição impressa do Trevim N.º1410