A concelhia de Coimbra do PSD critica a recente mudança na administração da Metro Mondego (MM), considerando uma “péssima notícia” o afastamento de João Rebelo, que desde 2010 presidia ao órgão e foi vice-presidente na anterior gestão social-democrata da câmara local. Num comunicado citado pela Agência Lusa e divulgado em vários órgãos de comunicação, o partido considera que a nomeação de novos titulares para a sociedade “corresponde unicamente a um negócio político de colonização das entidades públicas pelo Partido Socialista, com manifesto prejuízo público e sem qualquer estratégia ou ideia conhecida para este projeto de relevante interesse regional”.

Leia a notícia completa na edição impressa do TREVIM N.º1411