De acordo com Henrique Silva, médico veterinário municipal, desde junho de 2018, foram destruídos 131 ninhos definitivos, 73% instalados em árvores com altura superior a 10 metros. O clínico realça o crescimento exponencial do número de ninhos registado no concelho, avançando que em 2016 foram identificados dois ninhos, no ano seguinte 14, sendo que entre junho de 2018 e abril de 2019 já tinham sido destruídos 119. Henrique Silva explica que este valor “poderia chegar aos 500” mas perspetiva que, até abril de 2020, se registe metade, fruto do “ótimo trabalho que tem sido desenvolvido no concelho e em Portugal no geral”. “O melhor meio de combate passa pela colocação de armadilhas na primavera”, afirma.

O veterinário dá ainda nota de que no país, a vespa asiática desloca-se de norte para sul, cerca de 30 km por ano, valor inferior a outras marcas atingidas na Europa como é o caso de França, onde o insecto invasor chega a percorrer cerca de 100km durante igual período.