loader

Rua dos Combatentes (jornais e fidelidade à terra)

José Oliveira

A notícia é relativamente recente: as herdeiras de António Paulouro desfizeram-se das quotas de 40 por cento do capital que detinham no Jornal do Fundão. E venderam a participação por preço simbólico, segundo seu próprio relato que ouvi via Antena Um. Por que motivo? Também esclareceram: aquele jornal, que hoje pertence a um dos maiores grupos de imprensa, “já não é o mesmo que o meu pai criou”. Outra frase que retive: “É o fim de um ciclo”. E ainda outra: “Resta agora a memória”.
Igualmente relatado pelas filhas, durante a mesma entrevista: António Paulouro não tinha férias, vivia com permanentes dificuldades económicas, enfrentava as diatribes da censura, que chegou a eliminar – acrescento eu – a totalidade da primeira página e as duas centrais só porque divulgavam (em desenvolvida reportagem) uma predominância de bócio na Cova da Beira, explicando que a doença proliferava, em consequência da míngua de iodo que as montanhas envolventes impediam que lá chegasse trazido pelos ventos desde o mar. Foi proibido publicar isso! Teve na redacção rusgas da Pide. Apesar de tudo isso, o jornal sobreviveu. E foi sempre distinguido por uma dignidade e prestígio que lhe atribuíam os leitores, não só os da Cova da Beira mas de modo geral todos os portugueses que, fossem de onde fossem, soubessem distinguir entre um jornal autêntico e um pseudo-jornal. Nisso, tinha um ou outro parceiro, mas poucos; assim de repente lembro-me do já extinto Notícias da Amadora e do Comércio do Funchal. Mais uma frase que retive de uma das filhas de Paulouro, para caracterizar o jornal do pai: “Fidelidade à terra”.
Nós, que mantemos de pé o Trevim há mais de 50 anos e sempre vimos no Jornal do Fundão um nosso irmão mais velho que nos inspirava, (não propriamente por ter uma idade vinte e poucos anos a mais do que o nosso, mas porque mantinha uma coluna vertebral hirta), não desejamos que alguma vez se nos possa apontar, em sentido reformista, “o fim de um ciclo”. E será trágico se alguma vez se disser, acerca do Trevim, em tom de lápide funerária, “resta agora a memória”.

 

Tags:
Autor: Jornal Trevim

0 Comentários

Meteorologia

Artigos relacionados

Trevim: Leia também ‘Como eu vejo os Monumentos’ na Casa das Condessinhas Cultura
01 Dez 2022 12:20 PM

Está patente na Casa das Condessinhas, turismo de habitação na zona histórica da Lousã, a exposição de desenho ‘Como vejo os Monumentos’, de Eurico Ladeira. Leia a notícia completa na edição n.º 1497 do Trevim

Ler artigo
Trevim: Leia também Arte-Via leva modelo do FLII a outros continentes Cultura
01 Dez 2022 12:18 PM

A escritora Ana Filomena Amaral partilhou na Nigéria, no dia 22, alguns dos "bons resultados" alcançados na realização do Festival Literário Internacional do Interior (FLII) ao longo de cinco anos. Leia a notícia completa na edição n.º 1497 do Trevim

Ler artigo
Trevim: Leia também A ruralidade de Saramago em “As Pequenas Memórias” Cultura
01 Dez 2022 12:14 PM

Maria Celeste Garção No dia 19 de novembro, a Liga de Amigos do Museu Etnográfico Dr. Louzã Henriques (LAMELH), celebrou o centenário de Saramago, nascido a 16 de novembro de 1922, na Azinhaga do Ribatejo. Leia a notícia completa na...

Ler artigo
Trevim: Leia também Francisco Gonçalves ganha um lugar no pódio na prova mais importante do Circuito Nacional Desporto
01 Dez 2022 12:08 PM

Adriana Carvalho Durante os dias 12 e 13 de novembro, os nossos atletas não seniores do Cabril-Serpins participaram na prova de maior importância do circuito nacional do calendário da Federação Portuguesa de Badminton, deste mesmo escalão. Leia a notícia completa...

Ler artigo
Trevim: Leia também Rugby Club da Lousã continua a somar vitórias Desporto
01 Dez 2022 12:02 PM

As equipas de sub-16 e de sub-19 do Rugby Club da Lousã deslocaram-se à Trofa onde defrontaram os  Espartanos,  um novo clube daquela cidade. Leia a notícia completa na edição n.º 1497 do Trevim

Ler artigo
Trevim: Leia também ‘Quase Congresso de Música Afetiva’  em Serpins Cultura
01 Dez 2022 12:00 PM

A associação ‘A Música Portuguesa a Gostar dela Própria’ (MPGDP) organiza o ‘Quase Congresso de Música Afetiva’ a 8 de dezembro, na sede do Rancho Folclórico Flores de Serpins. Leia a notícia completa na edição n.º 1497 do Trevim

Ler artigo
Definições de Cookies

A TREVIM pode utilizar cookies para memorizar os seus dados de início de sessão, recolher estatísticas para otimizar a funcionalidade do site e para realizar ações de marketing com base nos seus interesses.

Estes cookies são essenciais para fornecer serviços disponíveis no nosso site e permitir que possa usar determinados recursos no nosso site.
Estes cookies são usados ​​para fornecer uma experiência mais personalizada no nosso site e para lembrar as escolhas que faz ao usar o nosso site.
Estes cookies são usados ​​para coletar informações para analisar o tráfego no nosso site e entender como é que os visitantes estão a usar o nosso site.

Cookies estritamente necessários Estes cookies são essenciais para fornecer serviços disponíveis no nosso site e permitir que possa usar determinados recursos no nosso site. Sem estes cookies, não podemos fornecer certos serviços no nosso site.

Cookies de funcionalidade Estes cookies são usados ​​para fornecer uma experiência mais personalizada no nosso site e para lembrar as escolhas que faz ao usar o nosso site. Por exemplo, podemos usar cookies de funcionalidade para se lembrar das suas preferências de idioma e/ ou os seus detalhes de login.

Cookies de medição e desempenho Estes cookies são usados ​​para coletar informações para analisar o tráfego no nosso site e entender como é que os visitantes estão a usar o nosso site. Por exemplo, estes cookies podem medir fatores como o tempo despendido no site ou as páginas visitadas, isto vai permitir entender como podemos melhorar o nosso site para os utilizadores. As informações coletadas por meio destes cookies de medição e desempenho não identificam nenhum visitante individual.