A proximidade da Igreja aos cidadãos e o bom relacionamento entre as duas instituições – Câmara e Igreja – foram salientados pelo presidente da Câmara Municipal da Lousã, na cerimónia de receção ao Bispo de Coimbra, D. Virgílio Antunes, que iniciava naquele dia, 19 de janeiro, a sua visita à Unidade Pastoral da Lousã. “É uma honra poder recebê-lo nos Paços do Concelho, é motivo de satisfação constatar que tem esta atitude de proximidade com a comunidade lousanense”, frisou o autarca, salientando o significado acrescido que esta visita tem para o concelho, na sequência do incêndio de 15 de outubro que afetou especialmente a freguesia de Serpins.

Recebido no Salão Nobre dos Paços dos Concelho pelo presidente da Câmara da Lousã, Luís Antunes, e pelo presidente da Assembleia Municipal da Lousã, Carlos Seco, D. Virgílio Antunes reforçou a boa cooperação entre a Câmara e as entidades religiosas. “A visita aos Paços do Concelho tem uma importância grande para mim, é um sinal da relação de cooperação que existe entre as diferentes instituições. Foi um caminho que se foi fazendo, teve momentos de crise acentuada no que diz respeito à relação entre a Igreja e o Estado, mas a igreja fez caminho, o Concílio Vaticano II foi o ponto de partida para uma nova visão das relações, entre nós foi decisiva a revolução de 1974”, salientou D. Virgílio Antunes.

 

Continua na edição impressa do Trevim nº 1371