Dia 30 de maio arranca no norte do país, em Paredes, a 53.ª edição do Rali de Portugal, sétima etapa do Campeonato do Mundo de Ralis (WRC) a decorrer até 2 de junho. A prova rainha do automobilismo regressa à região e ao nosso concelho na sexta-feira, dia 31, depois de 18 anos de ausência, com duas passagens na vertente norte da Serra da Lousã, na estrada florestal que vai da EN 236 (acesso ao S. Lourenço) até ao cimo de Vilarinho, agendadas para as 09:48 e para as 13:51 do mesmo dia.

O rali tem uma “partida cerimonial” na Porta Férrea da Universidade de Coimbra, pelas 19:00 de quinta-feira, arrancando dali no dia seguinte, pelas 08:30, em direção à Lousã, onde os pilotos vão disputar a primeira classificativa. São cerca de 12 quilómetros, em piso de terra, com 19 curvas em gancho, que se desenrolam “numa zona de floresta bastante densa, a meia encosta, numa progressão muito técnica e seletiva”, segundo nota da Câmara Municipal da Lousã (CML). A partir do quilómetro oito o troço “torna-se menos rápido, com o piso a apresentar alguns afloramentos rochosos naturais para se embrenhar de seguida na espetacular descida” já próximo da Póvoa de Fiscal e Vilarinho.

Os concorrentes seguem depois para as classificativas de Góis (18,78 km) e de Arganil (14,62 km), regressando depois para uma segunda volta a este percurso.

 

Leia a notícia completa na edição impressa do Trevim N.º1405