Centenas de pessoas assistiram à 11ª edição do Encontro Nacional de Grupos de Tocadores de Concertinas, uma iniciativa integrada no projeto “Caminhos Solidários” do Grupo de Concertinistas da Lousã (GCL) cuja receita reverte, este ano, para a Santa Casa da Misericórdia da Lousã (SCML).

Na tarde do dia 21 de julho, foram dez os grupos oriundos de diversos pontos do país que animaram o público presente no Parque Municipal de Exposições, sentindo-se a ausência da Escola de Concertinas de Serpins que não pôde comparecer.

Depois de uma homenagem aos tocadores Rafael Correia, que faleceu em setembro de 2017, aos 20 anos, e a Bernardino Nunes, falecido em abril de 2015, com 67 anos, seguiu-se um almoço-convívio que contou com cerca de 200 pessoas, e uma tarde de festa e dança, este ano, menos participada do que o habitual.

“Houve uma diminuição na compra dos bilhetes, vamos ver como corre”, dizia ao Trevim, Osvaldo Serra, do CGL, no inicio do espetáculo, fazendo questão de salientar que é o grupo “a assegurar todas as despesas” e a receita reverte “no seu total” para a Misericórdia da Lousã. João da Franca, provedor da instituição, deu nota de que a SCML “é uma rica casa mas não uma casa rica” e “precisa de ajuda de todos como qualquer instituição do concelho”. Referiu-se ainda ao investimento de 700 mil euros na ampliação da Estrutura Residencial para Idosos e da restruturação do piso 0, empreitadas que só foram possíveis recorrendo “à banca e com o apoio do Fundo Rainha D. Leonor”. “A Misericórdia tal como outras IPSS do concelho tem um papel fundamental na assistência à comunidade, que devia aderir mais a estes eventos”, concluiu.

Leia a notícia completa na edição impressa do Trevim N.º1410