Avançar para o conteúdo principal

Figuras Populares – Zé da Fonte: Um encarreirado carreiro lousanense

Carlos Ramalheiro

Na nossa Lousã de antanho, o carrear fazia parte do quotidiano daqueles homens que trabalhavam a terra, em parte sob o domínio do rico e a exposta obrigatoriedade das bocas a sustentar, extensiva vez a vez a quatro gerações, cenários que viajam connosco no tempo e repousam com renitência no nosso arquivo cerebral! O monopólio do rico era o “Santo Lenho” do homem pobre, pois já o padre António Vieira (1608/1697) sermonava: “Os pobres, dão pelo pão o trabalho, os ricos a sua fazenda.”

José Simões, mais conhecido na nossa terra por José da Fonte, epíteto sequentemente conduzido a seus filhos, José, Mário, Luísa e João, foi um homem “alouzanado” em todos os pontos honrosos. Sério e humano na conduta com os animais, mereceu sempre a nossa infantil e redobrada atenção. Seu farto bigode à literato, se recordarmos o portuense Raul Brandão (1867/1930), foi um característico apetrecho do seu tisnado rosto, que jamais esquecemos! Ao contrário de hoje, estes homens do passado não possuíam mãos mimosas, quando muito, o coração…. Eram formados na escola impiedosa da vida, onde a rabiça do arado e a soga ensebada pelo suor tomavam conta do calejamento das mãos e da alma. A célebre frase “Eixe boi”, era o rufo afetuoso de incitamento ao animal, supremo mealheiro do lar…

José da Fonte, casado com Maria José Lopes (a ti Maria Zé), assumia então como feitor o chamado amanho da fazenda na Quinta de Santo António, pertença de Fernando Pais de Almeida e Silva (de Chã do Couce) e esposa, Maria da Conceição Magalhães Machado. Como era apanágio nesse tempo, em esboços que o próprio Estado Novo desenhava, estes senhorios impunham como dever um tratamento doutoral. Era a opulência a vexar a indigência e tudo estava certo nessa época. Até a própria divisão da colheita, revertia impiedosamente a favor do senhorio. José e Maria, iletrados como sabemos, viviam com os filhos dentro dessa quinta, onde existia um enorme tanque de rega e uma fonte que ainda hoje existe, de onde brotou o apelido Zé da Fonte. A água provinha de uma mina, situada algo acima, onde hoje existe a ARCIL.

Maria Luísa Simões, filha de João da Fonte, explica assim o seu avô: “Era uma pessoa alegre e rígida como outros homens do seu tempo. Ao domingo, subia acima ao Cabo do Soito, à taberna do Sr. Malhado, para beber uns copos e jogar o fito com os amigos. Era o único dia livre da semana. Era deveras dura a luta pela subsistência. Quantas vezes, roçando o desumano, transportava com os bois, pela antiga estrada da Castanheira, enormes pipas de vinho e outras matérias, daí ter conhecido bem a ti Joaquina da Catraia (1844?/1940), à qual recorria em horas aflitivas. Muitas vezes adormecia sentado no carro, mas os bois lá seguiam, pois conheciam bem o caminho.”

Zé da Fonte, nasceu na Lousã no ano de 1895 e aqui faleceu, em abril de 1979.

Tags: Opinião
Autor: Jornal Trevim

0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Meteorologia

Artigos relacionados

Trevim: Leia também A imprensa enquanto suporte de uma sociedade informada e democrática Opinião
08 Fev 2024 09:28 AM

  [caption id="attachment_16708" align="alignleft" width="225"] Fortunato de Almeida[/caption] “Caiu o pano” sobre o quinto Congresso dos Jornalistas realizado recentemente em Lisboa. Diretores, jornalistas, políticos no ativo e alguns já desativados e especialistas defenderam o jornalismo enquanto “pilar da democracia”. Acompanhei...

Ler artigo
Trevim: Leia também Em tempo de eleições – Uma reflexão Opinião
25 Jan 2024 12:01 AM

[caption id="attachment_16708" align="alignright" width="225"] Fortunato de Almeida[/caption] Os partidos políticos que se foram adaptando aos novos tempos, têm valor de marca se o passado o permite, mesmo quando a circunstância que o justificou está ultrapassada. No fundo é o que...

Ler artigo
Trevim: Leia também ‘Atenção plena’ e os seus benefícios Opinião
25 Jan 2024 12:01 AM

  [caption id="attachment_8337" align="alignright" width="300"] Melanie Magalhães[/caption] Vivemos num mundo em que o nosso dia é marcado pela falta de tempo e pelo stress. Os dias de trabalho são cada vez mais longos e durante os tempos livres estamos constantemente a...

Ler artigo
Trevim: Leia também 2024 – Da Utopia a Realidade Opinião
11 Jan 2024 12:01 AM

  [caption id="attachment_19244" align="alignright" width="400"] Filomena Martins[/caption] LUZ, LUZ DA RAZÃO, Volta a brilhar no espírito dos homens, Inspira-lhes PAZ, AMOR E PÃO! Desliga o ódio, a violência, a agressão... Pára o novo Herodes que bombardeia inocentes, Faz germinar na...

Ler artigo
Trevim: Leia também Coisas da vida…pública –  Movimentos Sociais – Uma reflexão Opinião
14 Dez 2023 03:12 PM

  [caption id="attachment_16708" align="alignleft" width="225"] Fortunato de Almeida[/caption] Nas sociedades ocidentais mais desenvolvidas, as últimas gerações deram origem a movimentos sociais que, em geral, são caracterizados por uma conceção de democracia participativa e com maior empenhamento cívico, a sustentabilidade do...

Ler artigo
Trevim: Leia também Vem o metro ou não vem o metro? Opinião
14 Dez 2023 03:10 PM

Por esta altura, mais palmo, menos palmo, completa 30 anos uma velha ideia, ligeira e louca, de transporte moderno entre Coimbra B e Serpins que já teve diferentes nomes, mentores e mentiras associados. Desde 1993, a maioria dos protagonistas da...

Ler artigo
Definições de Cookies

A TREVIM pode utilizar cookies para memorizar os seus dados de início de sessão, recolher estatísticas para otimizar a funcionalidade do site e para realizar ações de marketing com base nos seus interesses.

Estes cookies são essenciais para fornecer serviços disponíveis no nosso site e permitir que possa usar determinados recursos no nosso site.
Estes cookies são usados ​​para fornecer uma experiência mais personalizada no nosso site e para lembrar as escolhas que faz ao usar o nosso site.
Estes cookies são usados ​​para coletar informações para analisar o tráfego no nosso site e entender como é que os visitantes estão a usar o nosso site.

Cookies estritamente necessários Estes cookies são essenciais para fornecer serviços disponíveis no nosso site e permitir que possa usar determinados recursos no nosso site. Sem estes cookies, não podemos fornecer certos serviços no nosso site.

Cookies de funcionalidade Estes cookies são usados ​​para fornecer uma experiência mais personalizada no nosso site e para lembrar as escolhas que faz ao usar o nosso site. Por exemplo, podemos usar cookies de funcionalidade para se lembrar das suas preferências de idioma e/ ou os seus detalhes de login.

Cookies de medição e desempenho Estes cookies são usados ​​para coletar informações para analisar o tráfego no nosso site e entender como é que os visitantes estão a usar o nosso site. Por exemplo, estes cookies podem medir fatores como o tempo despendido no site ou as páginas visitadas, isto vai permitir entender como podemos melhorar o nosso site para os utilizadores. As informações coletadas por meio destes cookies de medição e desempenho não identificam nenhum visitante individual.