Avançar para o conteúdo principal

A imprensa enquanto suporte de uma sociedade informada e democrática

 

Fortunato de Almeida

“Caiu o pano” sobre o quinto Congresso dos Jornalistas realizado recentemente em Lisboa. Diretores, jornalistas, políticos no ativo e alguns já desativados e especialistas defenderam o jornalismo enquanto “pilar da democracia”.

Acompanhei pela Televisão e pela imprensa escrita – neste caso colecionando abundantes recortes dos jornais – para tentar entender qual o motivo que levam os experts acima indicados a defender, ou não, se “O Estado deve financiar os media”. Para “memória futura”.

Creio que todos foram unânimes em pugnar por uma sociedade livre, plural e aberta, que deve estar no cerne da atividade de um jornalismo enquanto “bem público”. Depois, “caiu o pano”.

São conhecidas e sentimos na pele, as dificuldades que a Imprensa em geral atravessa, num momento em que se vão celebrar cinco décadas de uma imprensa liberta das grilhetas da censura e que precisa de condições que lhe permitam responder com êxito às ameaças que, pela via económica, do populismo e da desinformação, a condicionam.

Recordo que a API – Associação Portuguesa da Imprensa de que somos associados, apresentou uma proposta de Orçamento do Estado para 2024, em que apontou 7 medidas que considerou “prioritárias de apoio à comunicação social”:

  • Majoração em 20%, em sede de IRC, da publicidade efetuada por privados
  • Incentivo à modernização tecnológica e inovação
  • Literacia mediática e incentivo à subscrição de assinaturas
  • Aumento do porte pago (incentivo à leitura)
  • Criação de uma entidade de suporte ao Governo para a comunicação social
  • Compra antecipada de publicidade
  • Apoio ao transporte de longo curso se jornais e revistas

Será que no ano em que se comemoram os cinquenta anos da Revolução dos Cravos, a Assembleia da República que vai emergir das eleições de 10 de março se vai ocupar desta temática e apresentar um conjunto de medidas que possam contribuir para o setor dos media defender mais e melhor o seu papel enquanto garante de uma sociedade democrática?

Cláudia Maia presidente, em representação da DECO, da AP-Associação Portuguesa da Imprensa e diretora de publicações/DECO/Proteste, referindo-se à imprensa local, alerta que “é preocupante que mais de metade dos concelhos em Portugal é ou está na iminência de se tornar num deserto de notícias, ou seja, não ter quaisquer jornais ou rádios aí sedeados”. Rádio, lembro, a Lousã já teve.

Quanto a nós, no Trevim, carecemos de mais assinantes que nos ajudem em termos de massa crítica e da sua assinatura.

Lembramos aos empresários que o nosso índice de penetração nos domicílios do Concelho da Lousã é de cerca de 33%. E que estamos sempre disponíveis para acolher e divulgar os seus produtos e serviços. E até a ajudar na conceção/grafismo dos seus anúncios.

A Lousã e os lousanenses em geral podem e devem assegurar a continuidade deste projeto já a caminho dos 57 anos. E a garantir a sua sustentabilidade.

Nós, para além das profissionais que o servem, fazemo-lo voluntária e benevolamente, enquanto dirigentes. Outros colaboradores fazem-no também graciosamente, em algumas vertentes de que o jornal necessita.

Tags: Opinião
Autor: Jornal Trevim

0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Meteorologia

Artigos relacionados

Trevim: Leia também Em tempo de eleições – Uma reflexão Opinião
25 Jan 2024 12:01 AM

[caption id="attachment_16708" align="alignright" width="225"] Fortunato de Almeida[/caption] Os partidos políticos que se foram adaptando aos novos tempos, têm valor de marca se o passado o permite, mesmo quando a circunstância que o justificou está ultrapassada. No fundo é o que...

Ler artigo
Trevim: Leia também ‘Atenção plena’ e os seus benefícios Opinião
25 Jan 2024 12:01 AM

  [caption id="attachment_8337" align="alignright" width="300"] Melanie Magalhães[/caption] Vivemos num mundo em que o nosso dia é marcado pela falta de tempo e pelo stress. Os dias de trabalho são cada vez mais longos e durante os tempos livres estamos constantemente a...

Ler artigo
Trevim: Leia também 2024 – Da Utopia a Realidade Opinião
11 Jan 2024 12:01 AM

  [caption id="attachment_19244" align="alignright" width="400"] Filomena Martins[/caption] LUZ, LUZ DA RAZÃO, Volta a brilhar no espírito dos homens, Inspira-lhes PAZ, AMOR E PÃO! Desliga o ódio, a violência, a agressão... Pára o novo Herodes que bombardeia inocentes, Faz germinar na...

Ler artigo
Trevim: Leia também Coisas da vida…pública –  Movimentos Sociais – Uma reflexão Opinião
14 Dez 2023 03:12 PM

  [caption id="attachment_16708" align="alignleft" width="225"] Fortunato de Almeida[/caption] Nas sociedades ocidentais mais desenvolvidas, as últimas gerações deram origem a movimentos sociais que, em geral, são caracterizados por uma conceção de democracia participativa e com maior empenhamento cívico, a sustentabilidade do...

Ler artigo
Trevim: Leia também Vem o metro ou não vem o metro? Opinião
14 Dez 2023 03:10 PM

Por esta altura, mais palmo, menos palmo, completa 30 anos uma velha ideia, ligeira e louca, de transporte moderno entre Coimbra B e Serpins que já teve diferentes nomes, mentores e mentiras associados. Desde 1993, a maioria dos protagonistas da...

Ler artigo
Trevim: Leia também O verdadeiro Natal Opinião
14 Dez 2023 02:58 PM

Conto de Jó Dutra Era uma vez uma aldeia, daquelas onde todos se conhecem, no vale de uma grande montanha, junto a um bosque muito verde e fresco chamado Bosque das Pinhas. Era um sítio composto apenas de pinheiros-bravos e...

Ler artigo
Definições de Cookies

A TREVIM pode utilizar cookies para memorizar os seus dados de início de sessão, recolher estatísticas para otimizar a funcionalidade do site e para realizar ações de marketing com base nos seus interesses.

Estes cookies são essenciais para fornecer serviços disponíveis no nosso site e permitir que possa usar determinados recursos no nosso site.
Estes cookies são usados ​​para fornecer uma experiência mais personalizada no nosso site e para lembrar as escolhas que faz ao usar o nosso site.
Estes cookies são usados ​​para coletar informações para analisar o tráfego no nosso site e entender como é que os visitantes estão a usar o nosso site.

Cookies estritamente necessários Estes cookies são essenciais para fornecer serviços disponíveis no nosso site e permitir que possa usar determinados recursos no nosso site. Sem estes cookies, não podemos fornecer certos serviços no nosso site.

Cookies de funcionalidade Estes cookies são usados ​​para fornecer uma experiência mais personalizada no nosso site e para lembrar as escolhas que faz ao usar o nosso site. Por exemplo, podemos usar cookies de funcionalidade para se lembrar das suas preferências de idioma e/ ou os seus detalhes de login.

Cookies de medição e desempenho Estes cookies são usados ​​para coletar informações para analisar o tráfego no nosso site e entender como é que os visitantes estão a usar o nosso site. Por exemplo, estes cookies podem medir fatores como o tempo despendido no site ou as páginas visitadas, isto vai permitir entender como podemos melhorar o nosso site para os utilizadores. As informações coletadas por meio destes cookies de medição e desempenho não identificam nenhum visitante individual.